Saturday, August 30, 2008

Dia de turista, Circular Quay, Harbour Bridge e Opera House

Hoje foi dia de fazer turismo em Sydney. Como passei a semana toda super apertado com a Uni e tudo o mais, hoje que fui passear. Liguei para o Vini Engel, que foi o ex aluno do McBride que ele me recomendou conversar para eu ter noção das coisas do ponto de vista de um brasileiro. Ele se ofereceu para me levar para dar uma volta e eu então peguei o 355 bus para Surry Hills, que é onde ele mora.


View Larger Map


Para começo de conversa eu tinha olhado no Sydney Buses no trip planner como chegar daqui para lá, essa parte do Trip Planner no site é fantástico, digita o endereço de partida e onde quer ir e ele mostra diversas possibilidades (onibus, trem, ferry, combinação destes) para chegar, com os horários que vai passar o onibus e quanto tempo vai demorar a viagem e quanto tem que andar para chegar na estação de ônibus, trem ou ferry, e um mapinha para chegar na estação e outro para na chegada ir do ponto de ônibus até o endereço desejado. Tudo muito lindo e legal. Gravei o nome da rua que eu teria que descer e fui para a parada. Well, so far so good. Quando embarquei falei para o motorista que queria descer em Devonshire St, Surry Hills e o motorista replicou "Você tem certeza que é este ônibus? Este passa por Crown Street" Como eu lembrava do Crown St no trajeto que o site indicou falei "É esse mesmo, eu fico em Crown St".

O ônibus pareceu demorar uma vida para chegar e passar em tudo quanto é suburb, vou enumerando, saiu daqui de Enmore, passou por Newtown, Erskinesville, Alexandria, Waterloo, Redfern, até eventualmente chegar em Surry Hills, e o motorista ficou num sorriso só quando viu a Devonshire St (tinha inclusive a tal parada de ônibus na Devonshire St) e me falou "É no próximo" E eu pensei, "Dannn, agora que ele viu a placa, até eu, e ele nem sabia que passava nessa rua". Saltei e liguei pro Vini, mandou eu ir andando que ia cruzar a rua, passei bonito pela rua, era uma placa de um lado só da rua e do lado oposto que eu estava indo, então nem vi a danadinha, e o engraçado é que ninguém também sabia onde era a tal rua (era realmente só um quarteirão de rua), e quando perguntei para um rapaz (provavelmente o 3 que eu perguntava) e ele falou que não sabia, liguei pro Vini que falou "Opa, vc já passou, pode voltar". Então comecei a voltar e vi a tal plaquinha, e o rapaz que eu tinha acabado de perguntar virou todo feliz para mim e apontou a placa, e eu de novo pensando "Dann, descobriu a America"...

Vini desceu, fomos caminhando pela Crown St, que é a rua parece que mais comercial do bairro. O Surry Hills é bem legal, um bairro bem alternativo. O Vini parou em uma loja de roupas flourescentes, bem clubber, com música eletrônica alta e perguntou de camisas, e de raves para o vendedor. Ficou um bom tempo lá, eu como tava achando a música muito alta e a loja dentro muito quente (eu estava com um casaco grosso), fiquei mais do lado de fora olhando o povo passando, muitos estilosos, muitos com cachorrinhos, eu não tirei fotos do povo, mas a tentação foi grande. Se bem que acho que essa turma que tem estilo ia gostar de ser fotografada. Afinal, qual é a motivação de fazer todo o visual se não for para ser visto e chamar a atenção?

Eventually o Vini saiu da loja e fomos andando até o CBD. Passamos por Oxford St, que assim como em Londres, também é uma rua importante aqui e então pelo Hyde Park e George St, que também é cheia de lojas, shoppings e etc, isso já no Sydney Cenral Business District. Paramos para comer, pedi um noodles com uns negocinhos diferentes num food court, mas achei o tempero fraco, sem graça. O Vini acho que achou meio engraçado, porque ao invés de eu enjoar com a comida por ser diferente do Brasil, eu tava querendo provar tudo quanto era comida diferente, vietnamita, thai e por aí vai.


Depois de comidos continuamos a ida até o Circular Quay, que já é na Baía de Sydney (Sydney Harbour) e é onde começou a cidade, enchi um álbum de fotos do Circular Quay no PicasaWeb .



Andamos um pouco pelos Wharfs, onde saem os ferries para diversos outros lugares na cidade, e pelo The Rocks, que é a área inicial da cidade e então para o Opera House. Estava um bocado frio e nublado hoje, mas foi bem bonzinho o passeio.




O Vini entrou em uma lojinha de artigos de aborígenes, onde passei vergonha porque não vi a placa de "No Camera" e tirei essa foto dos bumerangues.



Tive que pedir desculpas depois para o aborígene que estava no balcão, porque só vi a placa depois. O Vini entabulou uma conversa sobre as 250 línguas originais dos Aborígenes e a associação de cada família com outra com o aborígene e eu como não estava nadica interessado nos indiozinhos australianos fui para fora e saí a bater fotos dos prédios históricos (tem cara cheiro e gosto de Inglaterra)...








Bem, essa foi a turistada do dia. Vamos ver o que vem pela frente.

2 comments:

Karla said...

Ranério, estou boba de ver o tanto que coisas que vc já fez em uma semana apenas; se fosse no Brasil, o professor ia te dar 15 dias prá se adaptar aí depois ia pensar se vc começava as aulas agora ou ano que vem, e assim por diante...rsrsrs
É por isto que vamos prá frente a passos miudinhos.
Boa sorte.

Raquel said...

Íamos ficar BEM nesta rua CLUBBER...kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk